Páginas

segunda-feira, 16 de maio de 2011

TSUNAMI PRÓXIMO!! CUIDADO!! NÃO SAIA DE CASA!!!

Fudeu! Vamos todos morrer. Vídeos das cidades japonesas arrasadas pelo tsunami ecoam na minha mente; 2012 chegando, prédios caindo, naves alienígenas atirando nos humanos, Luan Santana cantando para a Nação inteira em todos os canais... Só desgraça!! E tudo junto ao mesmo tempo agora.
Ou não?

Faltava apenas a Tribuna e o Diário de Natal colocar o texto acima em sua página. Ora, fizeram muito alarde por uma coisa que acontece quase como uma rotina.

Aqui eu mato a cobra e mostro a cobra morta, então vou apontar os erros:

1º) Terremoto na costa do Brasil: bom para alguma coisa ser considerada na "costa do Brasil" tem que estar até a 200 milhas. Essa distancia são de exatos 321,86 quilômetros, ou seja: o terremoto submarino estava  mais de 4 vezes a distancia aceita para ser considerada na "costa do Brasil".

2º) Tornar algo comum desastroso: Os tremores de terra na tal da Cordilheira Meso-Oceânica é algo absolutamente comum. Vamos aos dados: dia 10/05 - 5.0 Ilhas Malvinas | 12/05 - 5.0 Ilhas de Ascenção | 13/05 - 4.8 Ilhas Sandwich... E por aí vai. Não sou eu que estou dizendo, veja AQUI com seus próprios olhos. Transformar algo comum em desastroso poderá ter conseqüências graves. Quando eu mesmo ler sobre outro "tsunami" não ficarei tão preocupado e poderei ser engolido por uma onda gigante por não acreditar mais nessa história idiota. No DnOnline estava assim "Descartada possibilidade de tsunami no RN" Que absurdo!! Tsunami no Rio Grande do Norte Inteiro? Imaginei os moradores de Pau dos Ferros fugindo com os cacarecos nas costas... Jornalistas irresponsáveis, o que vocês querem? Noticiar ou aterrorizar?

3º) A Falha Dorsal do Atlântico não é muito ativa, por um motivo simples: As placas estão se separando, isso não gera muita pressão entre elas. A energia é toda despejada na placa de Nazca, como todo chileno sabe muito bem.

Exato local do tremor na imagem abaixo: 


Veja também alguns dos links irresponsáveis e tire as suas conclusões:


Nenhum comentário: