Páginas

quarta-feira, 25 de maio de 2011

"A FORTALEZA DOS REIS MAGOS E A CADEIRA DE PALHINHA DENTRO DO BURACO"

Segue o relato, sem meias palavras, da Professora e Mestre em Arquitetura Márcia Monteiro:

"Sou potiguar, arquiteta e muito orgulhosa das belezas existentes no nosso Rio Grande do Norte. Desde estudante, interesso-me em estudar sobre o Patrimônio Histórico e Cultural norte-rio-grandense. Já fui professora nessa área no curso de Turismo da UNP. Trabalhei muitos anos no governo estadual na área do turismo. Por ser tão orgulhosa das nossas belezas, junto com o fotógrafo alemão Erich Ettensperger escrevi e publiquei dois livros livro sobre elas: Guia das Belezas do Rio Grande do Norte e 66 Razões para Descobrir o Rio Grande do Norte e Deliciar-se com ele. Considero a Fortaleza dos Reis Magos, juntamente com o Marco Quinhentista de Touros, que lá se encontra, como os monumentos históricos mais importantes do Rio Grande do Norte, ambos tombados pelo Instituto do Patrimônio e Artístico Nacional – IPHAN*.


Além de arquiteta, também sou corredora de rua e dessa forma percorro muitos quilômetros na cidade quando tenho a oportunidade de observar detalhes, que às vezes não são percebidos quando estamos nos nossos automóveis. Presto atenção nas calçadas e nos seus buracos, nos locais onde existe lixo acumulado, sempre vejo um grupo de pessoas que moram na praia, em frente ao novo centro de artesanato “Mãos de Arte” (às vezes quando passo, ainda estão dormindo), também sinto os diversos cheiros da cidade. É um momento bem especial quando corro pelas ruas de Natal, é quando me sinto muito próxima desse imenso universo urbano. Hoje pela manhã, domingo, cedo, quando a parte da cidade ainda dormia, inclui no meu percurso de corrida uma passagem pelas praias de Natal, incluindo a passarela que dá acesso à Fortaleza dos Reis Magos. Fiquei chocada quando me aproximei da área de estacionamento por duas razões:
primeiro, avistei uma antiga cadeira de palhinha, daquelas usadas em escritórios, dentro de um buraco no meio da rua, na direção da entrada da passarela e também observei os quioques que margeiam o local de estacionamento para veículos de passeios. Eu lembro bem quando foi feita a instalação desses pontos de vendas. Eles possuem as dimensões adequadas para àquela área e esteticamente não eram feios. Sabem o que aconteceu? Foram feitas ampliações desordenadas e de mal gosto nessas estruturas o que resultou em um aspecto desastroso. Eu acredito que os proprietários dessas lojas sentiram a necessidade de se proteger do sol e também ter mais área para expor seus produtos. Não vejo problema nisso, desde que essas ampliações tivessem seguido uma orientação técnica com um projeto de arquitetura. Àquela área é visitada por milhares de turistas que nos visitam, é o portão de entrada da Fortaleza. Então eu questiono: será que o(s) órgão(s) responsáveis pelo entorno do monumento não tomaram conhecimento sobre isso?Ninguém viu? Continuei correndo e pensando: o boca à boca é uma das formas de divulgação que tem um grande alcance, imaginem quantos turistas já viram essa situação e estão contando por aí sobre como cuidamos dos nossos patrimônio histórico. E também indaguei: essa é a cidade que vai receber uma Copa do Mundo de Futebol?

p.s.:

* A Fortaleza dos Reis Magos foi inscrita no livro de tombo do IPHAN em 13/05/1949, com inscrição no. 256.

* O Marco Quinhentista da Praia dos Marcos foi inscrito no livro do tombo do IPHAN em 23/08/1962, com inscrição no. 352."

Natal, 22 de maio de 2011

Arq. Marcia Monteiro de Carvalho

Foto: Márcia Monteiro

Foto: Márcia Monteiro

Foto: Márcia Monteiro

Foto: Márcia Monteiro

----

Márcia, me pergunto como será a conservação de um possível novo estádio se o que temos de mais importante, a nossa história, está entregue ao acaso. Um local sem memória é um local 
Obrigado pelo texto.

Nenhum comentário: