Páginas

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

SUB O QUE?

O emissário submarino é um sistema de recolhimento e lançamento de esgoto doméstico no mar. Quer dizer que toda aquela sujeirada é jogada na água e pronto? Não, não é bem assim. Primeiro o esgoto passa por várias etapas de tratamento e quando é despejado já perdeu mais de 90% dos coliformes fecais que possuía.
O resto da limpeza, aí, sim, fica por conta da diluição e dispersão natural dos resíduos domésticos na imensidão do mar. É claro que, se não forem tomados certos cuidados, a área onde o esgoto tratado é lançado pode sofrer algum tipo de desequilíbrio ecológico. "Essa região sempre acaba tendo um impacto ambiental, principalmente no fundo do mar, onde é feita a descarga. Se não ocorrer uma diluição correta, o nível de oxigênio da água pode baixar e afetar pequenos vegetais e animais que vivem em suspensão na água do mar".

Por isso, antes de instalar um emissário submarino, a CAERN precisar fazer uma série de estudos sobre a região, analisando desde o tamanho da população local até o comportamento das correntes marítimas da área. Também é necessário obter uma licença de órgãos governamentais que cuidam de questões ecológicas. Cá para nós, a Caern não faz o serviço que é de obrigação, quanto mais estudos de viabilidade técnica...

Mas me diga uma coisa, você sabia que a Prefeitura Municipal e a Semov planejam construir um Emissário Submarino que levará as águas pluviais dos bairros de Campim Macio, Alagamar e Ponta Negra diretamente para o mar?

Basicamente a idéia é canalizar as águas armazenadas nas Lagoas de Captação para despejo no oceano, com um tratamento dito "secundário", um filtro grosseiro para reter os detritos maiores.

Porém, todos sabem que a água das chuvas já faz a "limpeza" das ruas da cidade, levando todo tipo de sujeira, inclusive esgoto, para as lagoas. Se o ocorrer dessa sujeira ser jogada para o mar, juntamente com os esgotos, vão levar mal cheiro, doenças e poluição visível ao pé da praia, com isso disfarçadamente e profundamente vamos destruir um dos símbolos mais marcantes de Natal, a praia de Ponta Negra.

Quem já foi em Fortaleza já viu que existem praias que não tem condições de tomar banho, e digo mais, o fedor é grande.

Ao meu ver, deveria ser feito um tratamento de verdade e não essa maquiagem. Com isso, o problema dos esgotos está sendo jogado para frente e não resolvido de fato, é uma questão de prioridades, o Camarote 2014 do Carnatal está sendo montado e quanto dinheiro não poderia ser economizado para a construção de usinas de tratamento?






Um comentário:

Lisandra disse...

Pois é...a cidade está cheia de lixo e terrenos baldios descuidados. Agora o mar, que já nem é mais essas coisas, vai ficar cheio de lixo também. O que acontece é que os políticos não entenderam ainda que falar disso não é mais conversa de ecochato nem de adepto de Nostradamus ou de profecia maia. É uma questão que a gente já sente na pele. E o pior: quem vai pagar o pato não é só quem tá usufruindo, quem tá ganhando dinheiro em cima de poluição; é todo mundo. Como diz Lenine (http://letras.terra.com.br/lenine/1338107/), numa frase que resume tudo: é foda!