Páginas

sexta-feira, 17 de julho de 2009

SARNEY: "contra grandes injustiças, só o silêncio, a paciência e o tempo"



Não sei, nunca vi, nem quero saber!
Será que foi Lula que aprendeu com ele, ou o contrário.

2 comentários:

Lisandra disse...

Bom, o tema “Lula” e suas incoerências é algo doloroso pra mim, eu que torcia (já que não podia votar) por ele na primeira campanha presidencial e em 2002 rodei uns 400 km, vestida de vermelho, pra votar nele.
Mas essa história de Sarney falando em “tempo” e “silêncio” me fez lembrar de umas declarações pesadas (e antigas) de lula contra Sarney, seu atual amiguinho. Dei uma olhada no Google e encontrei o inteiro teor da declaração, proferida em um discurso. O SILÊNCIO que Lula não manteve à época lhe rende hoje (algum TEMPO depois...) mais um destaque na linha “esqueçam o que eu disse” que ele vem adotando. Na época ele falou o seguinte:

“Antigamente se dizia que o Ademar de Barros era ladrão, que o Maluf era ladrão; pois bem: Ademar de Barros e Maluf poderiam ser ladrão (sic), mas eles eram trombadinhas perto do grande ladrão que o é governante da Nova República, perto dos assaltos que faz” (sic).

Bom, o citado governante da nova república e grande ladrão era ninguém menos que o Sr. Sarney.
Lamentável.

Carlos Augusto [Floyd] disse...

Não existe no Brasil político que nunca se contradisse!