Páginas

domingo, 3 de maio de 2009

FALTA VERGONHA NA CARA!

A farra é grande demais! Esses deputados, senadores, vereadores e todos os outros políticos usam e abusam da nossa boa vontade. Tudo acontece por baixo dos panos, para encobrir a falta de vergonha na cara.  
Uma época dessas ouvi que todo político era 'farinha do mesmo saco', eu enchia o peito para defender fulano ou cicrano, que bobagem...
São um bando de safados que repassam o seu direito 'que já é absurdamente vergonhoso' para familiares e amigos. Bom, na IstoÈ dessa semana aquelas frases da semana onde um carteiro falou "Pela lei tenho direito de tomar ônibus de graça para entregar cartas. Mas a minha mulher paga passagem". Os políticos não se dão conta [claro que se dão, se fazem de doido mesmo] que o dinheiro que eles tem direito não é de propriedade deles e sim do estado, é dinheiro público.
Na mesma IstoÉ a capa é mostrando a farra no STJ também... que vergonha... Mas política é assim mesmo, o cara que entra como vereador está pensando no cargo, no status, na verba de gabinete, nas viagens, nos direitos de roubar e não ser julgado, em ser julgado e não ser condenado, isso tem que acabar. O Brasil está se tornando um país de corruptos sem vergonha, onde ainda tem coragem de ir na TV assumir os erros e dizer que faria tudo novamente por que tem 'direito'. Outro dia ouvi que "o que é legal nem sempre é honesto".
Se você quiser mudar alguma coisa vote nulo nas próximas eleições, é só colocar qualquer número na urna eletrônica e apertar no pitôco verde! Vote em Zé ninguém, vote em você, seja um indignado também. Já que não temos histórico de lutas pela liberdade, de guerras e definitivamente não somos patriotas [a não ser quando a globo pede], ao menos digamos não a essa corja de assassinos e bandidos que estão de colarinho branco.

Uma leitora assídua me enviou essa poesia de Murilo Mendes do ano 1932, que se mostra bastante atual, dá só uma olhada:


 Hino do deputado

Chora, meu filho, chora.
Ai, quem não chora não mama,
Quem não mama fica fraco,
Fica sem força pra vida,
A vida é luta renhida,
Não é sopa, é um buraco.
Se eu não tivesse chorado
Nunca teria mamado,
Não estava agora cantando,
Não teria um automóvel,
Estaria caceteado,
Assinando promissória,
Quem sabe vendendo imóvel
A prestação ou sem ela,
Ou esperando algum tigre
Que talvez desse amanhã,
Ou dando um tiro no ouvido,
Ou sem olho, sem ouvido,
Sem perna, braço, nariz.

Chora, meu filho, chora,
Ante-ontem, ontem, hoje,
Depois de amanhã, amanhã.
Não dorme, filho, não dorme,
Se você toca a dormir
Outro passa na tua frente
Carrega com a mamadeira.
Abre o olho bem aberto,
Abre a boca bem aberta,
Chore até não poder mais.

Um comentário:

Lisandra disse...

Uma vez vi alguém (não lembro quem) dando uma entrevista e dizendo que o grande problema no Brasil era a "lassidão moral". Achei perfeita a colocação. Corrupção existe em todo canto; é muito difícil erradicar por completo. O problema é que aqui não temos apenas atos de corrupção, e sim toda uma cultura da corrupção. Isso é o mais grave. Existe a tolerância, e muita gente que acha errado um deputado roubar "esquece" de devolver um troco que recebeu a mais, dá um dinheirinho para o guarda "esquecer" que o carro vinha na contramão...Enfim. Coloque-se, então, essa pessoa na condição de deputado, e o resultado é desastroso: ele vai repetir as atitudes que antes tanto criticava.
E outro detalhe é que, enquanto em outros países o corrupto se envergonha quando é pego, aqui ele defende publicamente e acha normais e naturais as safadezas. Dá entrevista e acha o máximo!