Páginas

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Uma cidade vista através dos olhos de um inocente “Turista Fantasma”


Finalmente, sentindo-me totalmente ansioso e nervoso, deixei a Europa pela primeira vez na minha vida. Eu estava intensamente feliz por ter escolhido Natal, no Brasil, como meu destino das férias. 
Desde muitos anos sonhei em passar as férias em um maravilhoso local tropical com praias belíssimas, muito sol, excelente serviços e alimentação, além de um povo simpático e quase que permanentemente sorridente, os natalenses em Natal!
Como não sou um experiente turista internacional, eu fiquei positivamente impressionado com as reluzentes faixas de pedestres existentes na cidade. Disse para mim mesmo: “wischhhh, isto é mais bem sinalizado que no meu pais de origem na Europa!”.
Assim, acostumado a usar tais faixas na minha cidade, eu comecei a cruzá-la de forma lenta e relaxada carregando os souvenires que havia comprado. Subitamente escutei buzinas de todos os lados causando um barulho incrível. Os carros não pararam imediatamente e alguns quase me atropelaram. Os motoristas por trás dos vidros de seus carros, táxis, buggies, ônibus e caminhões olhavam para mim de forma furiosa, quase me assustando com suas faces monstruosas gesticulando com seus braços e dedos nervosos. Eu parei imediatamente e entendi que fiz algo gravemente errado. Senti-me culpado, depressivo, tremulo, senti quase como um ataque de Malaria. Suava e sentia que a adrenalina estava pingando dos meus ouvidos e da minha petrificada face européia!Senti-me imediatamente culpado porque tentei atravessar a rua numa faixa de pedestre!!! Eu nunca vou fazer isso novamente, eu lhe prometo, sim???? Por favor, me desculpe essa falta e o mau comportamento!!!!!
Hum, hum, agora, depois disso, comecei a pensar e refletir sobre essa situação, eu fiz uma analise profunda e talvez tenha acontecido um grande mal entendido, mas ainda minha falta, sem dúvida!
Por um momento, eu cheguei a seguinte conclusão e interpretação em relação ao mau comportamento: provavelmente todas essas excelentes faixas de pedestres nas ruas são destinadas a informar e alertar as pessoas para que as mesmas não tentem de forma alguma atravessar as ruas naqueles pontos.
Eu gastei quase um dia das minhas férias estudando esse interessantíssimo assunto em frente ao Praia Shopping, local onde constatei que a faixa de pedestre é a mais movimentada de todas existentes em Natal porque existem seis faixas para carros em alto velocidade!
Eu observei que muitos turistas cometeram a mesma grave falta e mau comportamento que eu quando tentaram atravessar a rua na faixa de pedestres. Conclui que os turistas devem aprender e respeitar que “uma faixa de pedestres não é somente uma faixa de pedestres” como na Europa, uma faixa de pedestres aqui é mais um campo de batalha ou uma área de treinamento para os tours dos Barichellos!!!!!
Como eu mencionei acima, eu estudei e observei essa situação de modo informal como James Bond nos seus melhores tempos e então cheguei a uma conclusão mística e suspeita: uma pessoa chegou próxima a faixa de pedestre e levantou um braço, (eu nunca tinha visto este estranho comportamento antes, pensei até que fosse um tipo de ginástica para braços que alguém fizesse no caminho de algum lugar ou um novo tipo de cumprimento de alguém conhecido), mas então, como num milagre, muitos carros começaram a parar e deixar as pessoas atravessarem a rua. Foi como se todos os motoristas quisessem acenar para a pessoa que estava atravessando, eles ligaram o pisca-alerta de seus carros. Tudo isso me pareceu tão colorido e bonito, eu nunca vou esquecer isso e vou dizer para meus amigos em casa. Eu desejo que eles introduzam esse procedimento de cumprimento no meu país, é tão pacífico e impressionante!!! 

Com os cumprimentos do Turista Fantasma.

Um comentário:

Lisandra disse...

Bem divertido, o texto.
Bom, pra mim isso é reflexo de algumas coisas muito marcantes hoje em dia: falta de planejamento (por parte do governo), de educação e alteridade (por parte dos motoristas). No lugar de faixas ali na região do praia shopping, por exemplo, deveriam existir passarelas, ou então todas as faixas deveriam estar logo depois de lombadas eletrônicas, e não no meio das pistas super movimentadas . E depois, deveria funcionar aquela coisa de o motorista ter o cuidado de reduzir quando estivesse se aproximando de uma faixa, afinal ele, por estar em um veículo potencialmente fatal, tem que ter um cuidado maior e de certa forma tem que zelar por quem está desprotegido.
De qualquer modo, o sinal com o braço, pedindo passagem, já se tornou hábito.
Por fim, aqui em Natal infelizmente não se tem muito o hábito de andar a pé...daí os motoristas nunca se identificam com os pedestres (falta a tal alteridade), e costumam tratá-los como pessoas inferiores, "desprovidas" de carros. Assim é Natal, lamentavelmente.